Resposta a Incidentes de Segurança: o que é e como pode ajudar a sua organização

Conduzidas pelas equipes de CSIRT, as atividades dessa abordagem são usadas com a finalidade de gerenciar incidentes cibernéticos com rapidez.

A Resposta a Incidentes de Segurança é uma atividade organizada para monitorar a perda de dados ou algum acidente que comprometa a segurança. Seu grande objetivo é deixar o mínimo possível de danos e prejuízos, além de poupar o tempo gasto. Ter um plano de resposta é uma exigência das principais boas práticas internacionais de segurança, e inclusive de algumas leis.

A maneira ideal de serem conduzidas é através da Equipe de Resposta a Incidentes de Segurança (Computer Security Incident Response Team - CSIRT), composta por profissionais da área de segurança, TI e executivos relacionados.

A importância da Resposta a Incidentes de Segurança está em sua rapidez de resolver os problemas que aparecem e que, se não solucionados no momento, podem se tornar ainda maiores, podendo ocasionar até um colapso. Outro ponto importante é que as equipes de resposta estão preparadas e sabem lidar com a preservação de evidências, que podem ser utilizadas posteriormente como prova substancial e em alguns casos descobrir a autoria do incidente. Ter um grupo já preparado para impedir que as vulnerabilidades ou sinistros continuem e se transformem em prejuízos é essencial para o bom funcionamento do sistema de um negócio.

Trata-se de uma preparação, que visa permitir que a organização tenha reação adequada para os principais riscos e até que fique mais preparada para o desconhecido reduzindo o impacto de incidentes. A abordagem de segurança ainda estabelece algumas práticas que se seguidas evitarão também que problemas surjam pelo caminho.

As instruções presentes na Resposta a Incidentes de Segurança são chamadas de Plano de Respostas a Incidentes (IRP) e devem conter procedimentos para analisar, identificar e solucionar os problemas que aparecem. Um IRP geralmente tem explicações de como lidar com ataques, vazamento de dados, invasões de rede e outros ataques maliciosos do mundo digital.

Segundo o Instituto SANS, existem seis momentos importantes do IRP:

  1. A preparação dos usuários e responsáveis para lidar com os incidentes;

  2. A identificação se um evento é um problema com a segurança;

  3. A contenção do desenvolvimento das falhas no sistema;

  4. A erradicação da questão pela raiz;

  5. A recuperação dos ambientes afetados; e

  6. Aprendizado, analisando e registrando o que foi aprendido com todo o processo.

Ou seja, as fases do Plano de Respostas a Incidentes são essenciais para a consolidação de uma Resposta a Incidentes de Segurança efetiva e que possa mitigar impactos de incidentes, reduzindo os riscos da organização.

Complementando esse assunto, é importante lembrar que toda organização deve:

Para entender mais sobre a aplicação dessas boas práticas na sua organização entre em contato com a Baikal.