Por quais razões a sua empresa deve adotar a prática de realizar Análises de Vulnerabilidades com frequência

Práticas como essa podem evitar a invasão dos seus sistemas e contribuem para o cumprimento das normas de privacidade e proteção de dados.

Considerando a realidade atual, é inquestionável o fato de que as organizações estão cada vez mais dependentes da internet para o desenvolvimento de suas atividades e negócios, de modo que a ameaça de violações de dados e ataques cibernéticos também cresce exponencialmente. Por isso, é essencial avaliar de forma recorrente as vulnerabilidades presentes na sua organização, para que o seu funcionamento não seja comprometido por cibercriminosos.

O que é uma Análise de Vulnerabilidades?

Uma avaliação de vulnerabilidades, também conhecida como Análise de Vulnerabilidades, é um processo utilizado para localizar e identificar qualquer fragilidade em uma rede ou infraestrutura - como erros de configuração e falhas de segurança - antes que elas sejam exploradas. A ideia principal é identificar as fragilidades do sistema, documentá-las, reportá-las e oferecer os melhores modos de resolver os problemas encontrados. Essa análise pode ser realizada tanto na rede da organização como nas aplicações voltadas para a internet, como websites etc.

Por quais motivos realizar

Existem milhares de vulnerabilidades catalogadas pelos pesquisadores de segurança e que, se não corrigidas, podem causar falhas e prejuízos ao serem exploradas por um agente malicioso.

Frequentemente, novas vulnerabilidades são descobertas por pesquisadores de segurança ou pelos próprios criminosos em sua atuação.

Como é sabido, existem diversas ferramentas de segurança da informação para a proteção de ativos e estruturas, como proteção endpoint (antigo antivírus), proteção de servidores, firewall e outras. No entanto, apesar dessas defesas, vulnerabilidades existentes nos ativos da organização ainda podem ser exploradas caso eles estejam vulneráveis, como exemplo, softwares com atualizações de segurança não realizadas e com falhas que podem permitir uma invasão.

Assim, as boas práticas de segurança da informação recomendam a realização sistemática de avaliações de vulnerabilidades, ou seja, a recorrência de testes e gerenciamento das correções, prevenindo, como dito, a exploração das vulnerabilidades, confirmando a correção das já detectadas e verificando a existência de novas.

Passos para realizar uma Análise de Vulnerabilidades

Estabeleça um plano

O primeiro passo é estabelecer os objetivos e o escopo desse tipo de avaliação. Esse processo permite identificar todas as informações relevantes e recursos disponíveis para a realização do teste, bem como quais serão as prioridades e os ativos que deverão ser avaliados de forma mais abrangente. A definição de um bom plano deve incluir quais os tipos de testes serão realizados e as janelas de testes.

**Coleta de informações **

Reunião das informações pertinentes sobre determinados ativos e suas infraestruturas para auxiliar na determinação dos ativos críticos para o negócio. Isso pode incluir lógica de negócios, requisitos de privilégios e quaisquer outros dados que possam ser úteis durante a etapa de realização e avaliação dos testes.

Identificação de vulnerabilidades

Depois de coletar todas as informações relevantes, é realizada por meios técnicos a busca por vulnerabilidades existentes no ambiente escolhido e de acordo com o escopo definido. Essa parte do processo pode ser realizada através do uso de processos manuais e automatizados. Caso sejam encontrados problemas complexos, é altamente recomendável que os testes de vulnerabilidades sejam realizados em conjunto com os testes de intrusão para validação das análises realizadas.

Relatório

Essa pode ser considerada a fase mais importante das análises de vulnerabilidades. Todo trabalho será frustrado, a menos que seja preparado um relatório detalhado com as falhas ou fraquezas, os riscos em potencial e suas medidas de correção, documento este direcionado, logicamente, apenas às pessoas com cargos e níveis de acesso devidamente classificados na organização. A análise deverá oferecer orientações sobre como as vulnerabilidades podem ser tratadas a fim de mitigar riscos, permitindo que a equipe de correção possa assim fazer as implementações para melhoria da segurança da organização.

Principais benefícios da realização de avaliações regulares

As melhores práticas do mercado estabelecem a importância da realização sistemática de testes e gerenciamento de vulnerabilidades. Além de prever e impedir ataques, os testes podem ajudar a melhorar a reputação da organização, inspirando maior confiança entre os clientes e parceiros.

Essa prática também colabora e contribui para o cumprimento de regulamentações nacionais e internacionais de segurança que possam ser aplicadas, como, por exemplo, as que tratam da proteção de dados e privacidade. Quer saber mais? Entre em contato conosco!

Imagem:Licença do Freepik