Somente em 2020, o custo por esse tipo de problema cresceu mais de 10% segundo estudo realizado pela IBM Security.

É verdade que não existe um ambiente online 100% seguro. No entanto, existem diversas maneiras a partir das quais empresas conseguem prevenir possíveis ataques, conseguindo se blindar ao máximo contra novas e possíveis ameaças. Atualmente, isso é possível graças aos mais variados recursos que vêm sendo desenvolvidos pelo mercado, especializados justamente na DLP (Prevenção de Perda de Dados).

Mas, afinal, por que isso é tão importante e quais são os custos e impactos de um vazamento de dados? Segundo pesquisa e relatório apresentados pela IBM Security em parceria com o instituto Ponemon, somente em 2020, o impacto financeiro para empresas aumentou cerca de 10,5% no Brasil. Para se ter ideia, hoje em dia uma violação deste tipo representa, em média, uma faixa de R$5,88 milhões para a companhia prejudicada, enquanto em 2019 esse número era equivalente a R$5,32 milhões.

Já parando para analisar um espectro mundial, o custo médio de um possível vazamento de dados, de acordo com as condições da corporação envolvida, pode chegar até cerca de R$20 milhões. E esse dado ainda cresce a depender da situação - no caso de contas de funcionários prejudicadas ou invadidas, por exemplo, a marca sobe para R$24,6 milhões. Essas métricas foram obtidas a partir de uma pesquisa realizada pela IBM na qual mais de 500 empresas e 3.200 funcionários foram consultados ao redor do mundo.

Somando aos dados financeiros dos prejuízos de um vazamento temos ainda a responsabilidade civil pelas violações que afetem terceiros que pode causar maior prejuízo financeiro, além do prejuízo reputacional da organização.

Outro impacto de um incidente de vazamento de dados pessoais, conforme a LGPD, e a possível penalização da organização pela autoridade de Proteção de Dados, não somente com multas como com a possibilidade até da determinação de suspensão de tratamento de dados, o que pode significar uma parada total de operações de determinadas organizações.

Outro ponto importante que vale ser ressaltado, sobretudo quando pensamos no cenário atual, é como as empresas estão muito mais suscetíveis a invasões e vazamentos durante o período de quarentena, no qual seus funcionários trabalham de casa, no regime de home office. Isso acontece, principalmente, devido às dificuldades de segurança que cada funcionário encontra, de acordo com o dispositivo, rede e até mesmo sites utilizados.

Por isso, empresas que investem em cibersegurança e em inteligência para proteção de dados acabam se sobressaindo. Afinal, além de serem mais seguras não só para seus clientes, mas também para seus funcionários, correm menos riscos de sofrerem consequências mais danosas. Se você ainda não investe nisso para o seu negócio, é hora de refletir: o que você faria se tivesse os dados da sua empresa vazados hoje?